segunda-feira, 11 de maio de 2009

Uno Mas

Fui no casamento de uma tia minha no sábado, nada muito grande, poucos convidados e tal. O que interessa para este post é o experimento que coloquei em prática na festa: como é ficar bêbado.

Sim, em 21 anos de vida eu nunca tinha bebido até (quase) cair. Decidi então aquela noite testar os limites do meu organismo frente ao fator etílico e o resultado foi vergonhoso... Conforme eu previra, sou realmente fraco em relação ao alcool: bastaram duas garrafas de cerveja (teor alcoólico: 5%, total de 1,2 litros) para que eu sentisse tudo em slow-motion e achasse qualquer funeral engraçado pra caramba. O peso da cabeça aumentou exponencialmente, as vozes ao redor diminuíram, parecendo abafadas. O equilibrio corporal tambem é alterado, tornando potencialmente arriscado a execução de ações simples como andar ou erguer uma colher.
Resolvi (ou melhor: meu pai resolveu) que seria bom encerrar o experimento naquele dia, afinal era uma festa de casamento o que exige, o mínimo de compostura em respeito à famiglia.

Minha primeira ressaca se resumiu a uma leve dor de cabeça na manhã seguinte, que não sobreviveu muito tempo após uma dose de dipirona. Nada de ânsia... menos mal.

2 comentários:

Nadezhda disse...

Acho que no caso, a dor de cabeça é smepremenos pior que a vergonha né.

;)

__((::_Pamelita_::))__ disse...

aiai... COMPLICADO!

odeio... O-D-E-I-O bebados!

Em 22 anos nunca bebi pra cair... mas como você disse a sensação não deve ser das melhor... entãããããõ.... rsrsrsrs