segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Cortar o Tempo

E lá se foi 2008.
Um ano muito rápido esse, diga-se de passagem. Sabe, muitas coisas boas aconteceram comigo nesses 360 e poucos dias: saí de uma faculdade que eu não gostava, arrumei um emprego, criei meu blog e me apaixonei perdida e longamente por uma pessoa que eu mal conhecia...
Um ano lotado de excelentes filmes, aliás acho ser o ano em que eu mais asssiti filmes. Me tornei um tanto quanto compulsivo por cinema: caçando os grandes clássicos, querendo ver (quase) todos os lançamentos, estudando por conta própria toda a mecânica envolvida num filme... Teria eu, finalmente encontrado a minha profissão dos sonhos?
Só o tempo dirá. Pretendo nesse ano novo prestes a nascer, me dedicar de verdade a essa paixão, investir nela, aprender a construir roteiros e storyboards, assistir ainda à mais filmes, comprar minha primeira câmera e me arriscar por aí...

Bom, sonhos e metas à parte, vamos encerrar a bagaça aqui em grande estilo! Com a palavra, um certo Drummond:

"Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,a que se deu o nome de ano,foi um indivíduo genial.Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar eentregar os pontos.Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente"

Feliz ano novo!

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Claus Revenge

Véspera de natal e estamos no auge do verão brasileiro: muito calor, com esporádicas, mas violentas chuvas inundando as calçadas por aí. Não posso dizer que minhas férias estão tediosas: tô com mil coisas pra fazer. Melhor assim: não dá espaço para a melancolia que costuma me dilacerar sem piedade nessa época de natal/reveillon.

Bom, como é de praxe na familia Gomes, hoje (ou melhor, amanhã), à 0:00 acontece a tradicional troca de presentes, com uma diferença: a que agora eu e minha irmã estamos empregados, o que aumentou exponencialmente a quantidade de presentes debaixo da árvore (\°/)... O que me leva a lembrar dos velhos tempos no qual havia um Mega Amigo Secreto, que envolvia minha familia mais o pessoal da parte do meu pai (que moram lá no fim do mundo) num grande evento de fim do ano. O ultimo que participamos devia ser em 2000, lembro que ganhei um violão (que nunca aprendi a tocar). Mas aconteceu que o povo ia saindo, saindo e chegou um tempo que decidimos que nossa independência natalina seria a melhor opção.

E acho que foi mesmo... prefiro esse natal mais de boa, sossegado em casa e perto dos amigos.


Espero que seu Natal seja bom tambem!

domingo, 21 de dezembro de 2008

Férias!

De 8000 funcionarios, 3000 foram cortados. Uma choradeira sem fim, palavras de ódio nas portas dos banheiros... compreensível, mas inevitável: são tempos de Crise, dizem melancólicos os líderes da linha aos inconsolaveis agora ex-funcionários (ou melhor: colaboradores) da grande Flex Corporation.


"Agora só estamos com os melhores dos melhores!"
Um velhinho do RH em palestra aos sobreviventes

Sim senhores, eu resisti a Crise e terminarei o ano, diferente de milhares de milhões de almas com meu boring, mas remunerado trampo! E haverão boas mudanças em 2009, como um horário mais flexivel, que poupará meus sabádos and um adicional noturno de 3 horas todos os dias... High Fives!!!

O melhor de tudo isso são essas férias coletivas, que permitirão o retorno às minhas atividades nerds por tempo integral até 6 de janeiro. 16 dias livre de motherboards (exceto a minha!).

Boas férias pra todo mundo, e se quiserem acompanhar as minhas, passem nesse mesma hora e nesse mesmo canal num dia qualquer, pois agora tempo eu tenho!

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Be Flex

Semana decisiva na Flex Corps: todo dia parece o último para este carinha que vos escreve. Dia após dia, às portas de pegar férias coletivas sofremos horas de agressão psicológica, todo dia é um tal de gente chorando na linha, um verdadeiro velório. Dei sorte de trabalhar no prédio que menos sofre/sofreu com os facões do desemprego, mas sei não...



Eu sempre espero o pior...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Liberdade

Aconteceu que quinta feira passada uma amiga de longas eras, retorna para cumprir uma antiga promessa: me levar a maior colônia japonesa do país, a Meca dos otakus brasileiros: o Bairro da Liberdade.

Domingo lá estavamos nos embrenhando em meio à cheirosas barraquinhas de takoyakis, manjus e afins, delirando em infinitas lojas abarrotadas de gashpoons e action figures de todos os animes imaginaveis, todos com seus olhos grandes e brilhantes implorando por uma vaga em minha estante. Quisera eu, ter verba suficiente para atender o chamado de todos, porem meu cargo e bom senso me obrigaram a levar apenas duas peças:


Seiya - Excellent Model (1/8 PVC)


Evangelion New Movie Ver. EX School Uniform Figure Ayanami Rei


Alem de todo consumismo desenfreado, tivemos um momento "espiritual", que aparentemente parecia sinistro: essa amiga me encontra um tiozinho que se dizia "Porteiro de Deus". De prima, achei maneiro o jeito que o velhinho pregava, sabe? Ele tinha o dom de fazer as pessoas acreditarem que ele fosse mesmo um tipo de guru ou mensageiro. Mesclou alguma coisa de Teoria de Gaia, com Karma e Cristianismo. Percebi que a ruiva tava precisando daquelas palavras de esperança e retribuição (no sentido cármico), mas meu lado cientista esperou dez minutos pra jogar um baldinho de água fria na fé da coitada (e na minha tambem). Sei lá, depois de um tempo, me pareceu uma mensagem genérica demais, universal, e ele tava fazendo parecer que fosse algo especificamente pra ela, tipo: "eu sei que você está com problemas" e tal, mas na real: quem não tem problemas? Bom, existe a possibilidade do velho ser realmente um arauto divino, mas não me pareceu prova disso durante o sermão. Que eu queime no Inferno se estiver errado...


Enfim, a Liberdade se tornou o meu ideal de cidade, amei tudo e quero morar lá pra sempre!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Chinese Democracy

Mais enrolado que nerd em encontro romântico, o sexto album do Guns n'Roses ( se bem que de Guns mesmo só restaram os berrinhos do Axl...) tava no esquema do "vamo marcá" desde 94. Todo ano, o cabeludo vinha com a balela do "agora vai" e nada.
Bom, com 2008 já indo pro saco junto com a econômia do mundo inteiro, e SURPRESA: enfim lançaram o mais esperado (e tambem mais caro) CD da história, e se querem saber minha opinião, não valeu tanto a espera...

Tá certo que vivemos outros tempos, maaaas muito do que eu gostava do Guns se perderam como lágrimas na chuva. O Cdzinho começa bem: gosto das primeiras quatro, Chinese Democracy é decente, Shacklers Revenge é a melhor do album, Better é melhorzinha (trocadilhoooo!!!!) , e Street of Dreams tambem. agora de If the World pra frente é só bomba. Minto: Scraped é fodinha tambem. Tá, e This I Love...

Calma aí... é, eu admito: acho que é um CD bom com três ou quatro musicas que eu não gostei por causa da batida meio hip hop. Minha primeira impressão foi uma merda foda, mas depois de ouvir Chinese umas trinta vezes, ficou até viciante...

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Falling Slowly

I don't know you
But I want you
All the more for that
Words fall through me
And always fool me
And I can't react

video

sábado, 15 de novembro de 2008

Explosão Cerebral!!!

Que beleza de final de semana esse que tá começando: hoje e amanhã só no sossego da minha casinha (agora verde), quisá um RPG com os amigos só pra matar a saudade e claro, filmes sem miséria!
No espirito de Quantum of Solace, 22°(!) filme da franquia do agentesecretoquetodomundosabeonome, aluguei o hilário Agente 86 (Get Smart), adaptação da clássica série da década de 60 (ou 70) estrelada pelo hilário Steve Carell e sua fantástica cara de paisagem. Alem dele, arrebentam no filme Masi (Yatta!!!) Oka, Dwayne 'The Rock' Johnson e até o huge motherfucker do Great Khali, o gigantesco astro da WWE. O filme ganhou até um (fraco) spin-off com os nerds Bruce e Lloyd, personagens de Oka e Nate Torrence no longa.

Maaaaaas, o que realmente expoldiu minha cabeça foi o novo trailer de Watchmen, patza que pariu, vei!!! Se você ainda não viu (seu maluco), tá aí embaixo pra facilitar sua vida. É até retundante dizer a perfeição épica que é essa HQ, que pra nossa sorte caiu nas mãos certas: Zack Snyder é o cara por trás da adaptação que vai fazer de Watchmen, o que TDK foi em 2008.

video

Boooooooooom!!!

domingo, 2 de novembro de 2008

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

1° Divisão!!!

Assim como nosso glorioso timão, eu voltei!!!

Agora são exatamente três da madruga, teclando aqui meio na surdina pra não acordar ninguem. Bom, já estou conseguindo conciliar melhor a questão tempo/trampo, mas ainda não dá pra fazer tudo que eu preciso/queria, como por exemplo ir ao cinema (se bem que não deve ter nada muito bom rodando essa semana).

Lembra aquele papo de "pai rico, pai pobre"? Poisé... o esquema é muito mais dificil na prática, principalmente quando se é um maldito nerd consumista (retundância?). Tipo, não que eu já esteja afundado na lama, mas não deixo sobrar nada pra investir, a não ser que você chame um amontoado de DVDs, mangás e action figures um investimento. Sério: não tem nem mais espaço pra guardar tanta coisa... e olha que eu tô me segurando.

Mas não só de papel, brinquedos e filmes vive o homem... Pô, ele tambem precisa de roupas!!!
E com roupas entenda: "camisetas com estampas nerds" dignas do Sheldon (BBT). Encontrei uma lojinha muquiada aqui em Soroca que me faz pirar toda vez que entro lá. Já tenho uma branca do Edward Scissorhands, uma musgo (emborrachada) do Capitão Caverna, e a clássica preta e verde do X-Files!

Caramba...tô ficando com sono...bem, antes que eu capote aqui vou tratar de postar essa minha empolgação momentânea e tentar sonhar alguam coisa.



"Good Morning_Oh, and in case I don't see ya, good afternoon, good evening and good night."

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Eles (ainda) não estão entre nós

É... ainda não foi dessa vez que fizemos o tão aguardado oficial primeiro contato interplanetário. Alarme falso pessoal, o show acabou!

Pena, o mundo ia ficar muito mais interessante se tivessem inúmeras navezinhas pairando aqui e ali, com a massa eufórica (me incluo aqui) formando filas épicas só pra terem o gostinho de serem abduzidas ao menos uma vez na vida, mais do que isso, mais do que qualquer coisa: o começo de uma nova era.

Uma chance de fuga, uma luz, uma outra vida pra bilhões de humanóides entediados com essa bola azul que chamamos de Terra. Não faz sentido ficar preso ao chão quando se pode voar, desbravar os limites do Universo, do Multiverso com as mais exóticas raças e cores da galáxia. Aprender a desaprender as verdades que tínhamos como certas, conhecermos seus deuses, seus heróis e seus amores. Tudo seria diferente, tudo.

Mas tudo continua do mesmo jeito, tudo (pelo menos até agora).



* Essa viagem na maionese é válida apenas na hipótese que eles venham em paz

domingo, 5 de outubro de 2008

Silente

Tempo, muito tempo depois eles finalmente se encontraram
Agora não mais protegidos pela distância daquilo que os uniu
Tanto tempo,
tantos sentimentos engasagados na garaganta
que se afogaram no silêncio da timidez
Porque tudo parece mais fácil com o resto do mundo?

domingo, 28 de setembro de 2008

O Caderno da Morte

Death Note.
Um dos mangás/animes mais phodas de todos os tempos, sucesso que já rendeu 3 Live Action, inumeros bonecos e jogos ganhou agora peça teatral, e o melhor: aqui em sampa... e grátis!!!
Sim, minha cabeça explodiu quando li tambem...
Os culpados são a Cia Zero Zero de Teatro, com direção de Alice K. , O Caderno da Morte promete fortes emoções aos otakus do estado.


O Caderno da Morte - Death Note
De 9 de outubro a 23 de novembro
Quintas e sábados: 20h00
Sextas: 16h00 (a partir de 31/10) e 20h00
Domingos: 18h00
SESI Leopoldina
Rua Carlos Weber, 835 - Vila Leopoldina
São Paulo/ SP(11) 3883-1093- Entrada gratuita

Ficha Técnica
Direção: Alice K.
Adaptação teatral: Cia. Zero Zero de Teatro
Dramaturgia: Bruno Garcia
Direção de Produção: Carla Estefan
Assistente de Produção: Mariana Santos
Figurinos: Patrícia Brito
Cenografia: Laura Marc
Sonoplastia: Greg Slivar
Projeção: André Menezes
Iluminação: Eduardo Albergaria
Material Gráfico: Gustavo Valezi

Elenco: Bruno Garcia (será que é ELE?!?), Miguel Atênsia, Rudson Marcello, Thais Brandeburgo, Vinicius Carvalho.
_
Eu TENHO que ver isso...

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Scout Ruuuuun!!!!

Finalmente uma brecha no meu espaço-tempo pra atualizar essa bagaça aqui. Ufa... sabe, o trabalhar na Flex é muito bom. Meu trampo lá é testar placas-mãe, coisa que levo 10 à 15 minutos pra fazer cada uma, isso quando elas não dão problema (ou minha Giga dá). Geralmente tem um grande espaço de tempo entre uma e outra, o que me deixa com muito tempo livre pra fazer nada. A comida lá não é tambem aquela coisa que pensei que fosse, mas ainda é infintamente melhor do que levar marmita. Foda é hora-extra sem miséria que a gente faz lá, muitas vezes pra não pegar uma única placa. Tempo é o único contra da Flex, talvez não fosse se eu pegasse o 1° ou 3° turno, mas trabalhar no 2° consome meu dia e noite. Tava meio sem condição de ler os blogs do povo aí, mas prometo que isso vai se acertar em breve. Já tá dando a hora de me arrumar aqui, o dever me chama.

Abayo!


Update: Falha no LHC! Ao que parece, os maníacos do CERN trocaram um sinal e ferraram um transformador que resfriava a arma, o que atrasará o Segundo Impacto em mais algumas semanas.

sábado, 13 de setembro de 2008

You Can't Miss the Bear!

Empregado denovo!
Contrato de 2 anos com a Flextronics, uma multinacional de eletrônicos. O trampo é simples, a grana é boa e a comida melhor ainda. Vou ser mais contido dessa vez, rio sempre que leio como fiquei empolgado com o emprego como escr... digo, auxiliar de produção na Real antes de começar a trabalhar lá. Minha irmã tambem conseguiu, e começa junto comigo, segunda-feira. Três dias de Integração, só pra conhecer a empresa e o serviço. Vamos ver o que dá dessa vez...

Enquanto isso, me entupo de filmes e seriados, e no meio desse coquetel maluco estava Weeds, série estrelada pela hilária Mary-Louise Parker, como Nancy Botwin que para sustentar seu antigo padrão de vida após a viuvez, passa a trabalhar com o tráfico no belo e aparentemente perfeito subúrbio de Agrestic. A trama se desenvolve de modo viciante, com ótimo elenco e situações impagaveis, de humor forte, ousado, mas inegavelmente humano. Weeds destrói a imagem politicamente-correta da vida no subúrbio, mostrando que por trás das cerquinhas brancas tambem existem problemas, e eles não são poucos. Destaque tambem para atuação de Elizabeth Perkins, que vive a neurótica Celia Hodes na série. Atualmente na quarta temporada, Weeds promete ainda mais horas de risadas e reflexões.
Eu recomendo.
_

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Ensaio sobre a bolseira

Qual a primeira imagem que aparece em sua mente ao ouvir a palavra marsupial?
Acredito que 10 entre 10 pessoas logo vejam a carismática imagem de um canguru (marrom), talvez com um belo par de luvas de boxe, geralmente vermelhas. Acertei?
Ahhh... não se pode esquecer tambem da clássica bolsa no abdomem, símbolo-mor dessa infra-classe de mamíferos ainda tão desconhecida pela MASSA (aonde me incluo), mas eventos me levaram a pesquisar um pouco mais sobre o assunto, e consequentemente a descobrir alguns fatos bizarros sobre esses curiosos animais, que você confere abaixo:

1° Alem dos famosos cangurus tambem são da família: gambás (ex: Pepe Le Pew) , diabos da Tazmânia (saca o Taz? Então...) e coalas (sim, coalas ¬¬.), alem de outras 300 e poucas outras espécies que não serão citadas aqui por falta de referências televisivas.


2° O termo Marsupial vem de marsúpio (a bolsa na barriga), presente APENAS nas fêmeas (dããã! é obvio, eu sei, mas saber disso acabou com minha infância), muitas vezes desenvolvidas APENAS durante o período de gestação (muito curto, por sinal: algo entre 8 a 43 dias). Geralmente as mamas são abdominais, ocultas pela bolsa, f#da é o filhote (praticamente um feto) que tem que se arrastar sozinho da abertura uro-genital da mãe, escalar a bolsa e grudar no mamilo (!), sem falar que ter sua mãe pulando sem parar não facilita muito as coisas... (nota mental: seria bizarro se bebês humanos fizessem isso... ainda mais se nascessem canibais... caramba, que cena!).

3° O mais estranho é o sistema reprodutivo dos marsupiais: acreditem ou não, a fêmea tem seu trato sexual inteiramente duplicado (Ctrl C, Ctrl V), e o macho tem o pênis bifurcado (WTF?), ahhh... e com o escroto na frente dele (WTF?x2).

E esse foi um singelo momento National Geographic do SVEJA. Espero ter destruído a infância de alguns de vocês com essas chocantes revelações (ou não).
_]
Update: Deram start no LHC... sabe, o povo tá com medo que essa coisa forme um buraco negro e chupe todo nosso Universo, coisa e tal. Ou que a explosão dos protons revele uma matéria mais estável (e provavelmente mais bizarra) que transforme toda matéria do mundo nela. Mas fiquem tranquilos: não vai doer nada. :P

Update 2: Pepe Le Pew não é um Gambá, muito menos um marsupial. Veja mais em A verdade sobre Pepe Le Pew (Set,2009)

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

O zumbido

Eu me segurei o quanto pude. Juro que tentei , mas foi ELA quem quis assim. Agora Rebeca está morta, vísceras expostas sobre a cama em forma de coração. Eu, atordoado e banhado em sangue, a olho mais uma vez, iluminada pela fraca luz negra desse quarto de motel... Ela era perfeita... mas perfeita demais pra mim. Esta noite, eu acabei com três vidas: a minha, a dela e a de nosso filho, ou melhor: projeto de filho. Foi fácil me desfazer do corpo ainda incompleto de Junior (ou Juliet), pena não poder dizer o mesmo de sua mãe... Ainda custo a acreditar que a vadia arrancou minha orelha enquanto à livrava do peso de uma vida. Não era pra matá-la, não mesmo. Mas a dor cegou minha razão. Havia um Monstro dentro de mim, e ela o deixou escapar.

Agora são quase três da manhã... Meu ouvido não pára de sangrar e um zumbido agonizante parece querer explodir minha cabeça. Decido descansar meu corpo. Vou até a suíte, me lavar do vermelho daquela que pensei um dia ser o amor de minha vida. A água antes cristalina se torna escura. A calmaria do momento dá espaço para a vinda de uma violenta crise de consciência. O Monstro é acorrentado novamente, mas o Homem está morto. O zumbido aumenta junto com a dor.

Insuportavel...

Eu não chorava de verdade há anos, mas agora choro. Choro como nunca havia chorado na vida. Tão alto e tão forte que mal ouço o baque surdo vindo do quarto. Inconsolável, eu olho para a porta aberta e vejo com terror Rebeca rastejando em minha direção. Ela deixa um largo rastro de sangue até chegar aos pés da banheira. Ela amaldiçoa meu nome com as forças que ainda lhe restam. Eu tentaria uma reação se os músculos respondessem aos meus comandos. É como num sonho, onde não se consegue gritar e seu corpo trava diante do perigo.
_

Infelizmente, não estou sonhando...

Eu paro de resistir e me entrego à punição de Rebeca. Afinal, minha vida acabou no momento em que a matei (ou ao menos tentei). Ela pega o esbranquiçado cordão fibroso que antes alimentava nosso filho, ainda quente e pulsante, e o enrola em meu pescoço. Demora até que a falta de ar me liberte da carne.

A dor se vai...

Mas o zumbido continua... mais alto do que nunca...

Um conto de Samura

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Boedromion

Sem tempo pra respirar, já vivenciamos os dias de setembro, um mês sem Olimpíadas (graças a Pelor), mas sempre com muitas expectativas. Anteriormente em SVEJA, chutei o baldinho amarelo do trampo na Padaria, para tentar a sorte na huge-motherfucker Flextronics. A grana dos meus dias de escravidão paga já foi devidamente torrada na compra de muitos quadrinhos, DVDs, cookies e outras besteirolas, tal como um action-figure perfecto do Wall-E:
_
Não é CG!

Momento Pulpito:

Fiquei put@sso quando descobri que não reservaram uma única maldita sala nessa cidade dos infernos pra exibir Trovão Tropical, nova comédia do Ben Stiller e cia, "O" filme que conseguiu desbancar Batman do primeiro lugar (aliás, TDK já arrecadou quase 1 bilhão de doletas!!!)... U23D então, nem pensar!? O jeito é o que? Apelar pra p#rra da pirataria?

Ahhh... tô melhor agora. Bem, tô numa onda de querer escrever contos agora, contos policiais pra ser mais especifico, algo a lá Frank Miller, quem sabe. Então qualquer hora dessas, eu acabo os publicando aqui, só não esperem muito desse nerd, belê?

Câmbio desligo.

PS: Não é que não tem sala aqui nessa cidade dos infernos, após um twiit da Siena, descobri que Trovão Tropical foi BOICOTADO EM TODO O PAÍS!!! E eu pensando que a ditadura já tinha acabado por aqui: FUCKING ALL!!!

sábado, 30 de agosto de 2008

Os Outros

O tempo é fluído por aqui - disse o demônio.
Ele soube que era um demônio no momento em que o viu. Assim como soube que ali era o inferno. não havia nada mais que um ou outro pudesssem ser.
A sala era comprida, e do outro lado o demônio o esperava ao lado de um braseiro fumegante. uma grande variedade de objetos pendia das paredes cinzentas, cor de pedra, do tipo que não parecia sensato ou reconfortanteinspecionar muito de perto. O pé-direito era baixo, e o chão, estranhamente diáfano.
- Chegue mais perto - ordenou o demônio, e ele se aproximou.
O demônio era esquelético e estava nu. Tinha cicatrizes profundas, que pareciam ser fruto de um açoite ocorrido num passado distante. Não tinha orelhas nem sexo. Os lábios eram finos e ascéticos, e os olhos eram condizentes com os de um demônio: haviam ido longe demias e visto mais do que deveriam. sob aquele olhar, ele se sentia menos importante do que uma mosca.
- O que acontece agora? - ele perguntou.
- Agora - disse o demônio com uma voz que não demonstrava sofrimento nem deleite, somente uma horripilante neutra resignação - você será torturado.
- Por quanto tempo?
O demônio balançou a cabeça e não respondeu. Ele percorreu lentamente a parede, examinando um a um os instrumentos ali pendurados. na outra extremidade, perto da porta fechada, havia um açoite feito de arame farpado. O demônio o panhou com uma de suas mãos de três dedos e o carregou com reverência até o outro lado da sala. pôs as pontas de arame sobre o braseiro e observou enquanto se aqueciam.
_
- Isso é desumano.
- Sim
As pontas do açoite ganharam um brilho alaranjado.
Quando ergueu o braço para dar o primeiro golpe o demônio disse:
- No futuro, você vai sentir saudade deste momento.
- Você é um mentiroso.
- Não - respondeu o dêmônio. - A próxima parte é ainda pior - explicou pouco antes de descer o açoite.
As pontas do açoite atingiram nas costas do homem com um estalo e um chiado, rasgando as roupas caras. Elas queimavam , cortavam e estralhaçavam tudo o que tocavam. Não pela última vez, naquele lugar, ele gritou .
Havia duzentos e onze instrumentos nas paredes da sala,e com o tempo, ele iria experimentar cada um deles.
Por fim, a Filha do Lazareno, que ele acabou conhecendo intimamente, foi limpa e recolocada na parede na duocentéssima décima primeira posição. Nesse momento, por entre os lábios rachados, ele soluçou:
-E agora?
-Agora começa a dor de verdade - informou o demônio.
E começou mesmo.
Cada coisa que ele fizera que teria melhor não ter feito. Cada mentira que ele contara - a si mesmo e aos outros. Cada pequena mágoa, e todas as grandes mágoas. cada uma dessas coisas foi arrancada dele, detalhe por detalhe, centímentro por centímentro. O demônio descascava a crosta do esquecimento, tirava tudo até sobrar somente a verdade,e isso doía mais do que qualquer outra coisa.
- Conte o que voc~e pensou quando a viu indo embora - exigiu o demônio.
- Pensei que meu coração ia se partir.
- Não, não pensou - contestou o demônio, sem ódio. Dirigiu seu olhar sem expressão para o homem, que se viu forçado a desviar os olhos.
- Pensei: agora ela vai ficar sabendo que dormi com a irmã dela.
O demônio descontruiu a vida do homem, momento por momento, um instante medonho após o outro. isso levou cem anos, talves mil - eles tinham todo o tempo do universonaquela sala cinzenta. Lá pelo final, ele percebeu que o demônio tinha razão. Aquilo era pior do que a tortura física.
Mas acabou.
só que quando acabou, começou denovo. e com uma consciência de si mesmo que elel não tinha da primeira vez, que de certa forma, tornava tudo ainda pior.
Agora, enquanto falava, elele se odiava. não havia mentiras, nem evasivas, nem espaço pra nada que não fosse dor e ressentimento.
Ele falava, não chorava mais. e quando terminou, mil anos depois, rezou para que o demônio fosse até a parede e pegasse a faca de escalpelar, ou o sufocador, ou a morsa.
-De novo - Ordenou o demônio.
Ele começou a gritar. Gritou durante muito tempo.
- De novo - ordenou o demônio quando ele se calou, como se nada houvesse sido dito até então.
Era como descascar uma cebola. Dessa vez,a o repassar sua vida, ele aprendeu sobre as consequências. Percebeu os resultados das coisas que fizera; notou que estava cego quandpo tomou certas atitudes; tomou conhecimento das maneiras como infligia mágoas ao mundo; dos danos que causara a pessoas que jamais conhecera, encontrara ou vira. Foi a lição mais dificil até aquele momento.
- De novo - ordenou o demônio, mil anos depois.
ele agachou no chão, ao lado do braseiro, balançando o corpo de leve, com os olhos fechados,e contou a história da sua vida, revivendo-a enquanto contava, do nascimento até a morte, sem mudar nada, sem omitir nada, enfrentando tudo. Abriu seu coração.
Quando cabou, ficou sentado ali, de olhos fechados, esperando que a voz dissesse: "de novo". Porém, nada foi dito. ele abriu os olhos.
Lentamente ficou de pé. Estava sozinho.
na outra ponta da sala havia uma porta, que enquanto ele olhava, se abriu.
Um homem entrou. Havia terror em seu rosto, e tambem arrogância e orgulho. O homem, que usava roupas caras, deu alguns passos hesitantes pela sala e parou.
Ao ver o homem, ele entendeu.
- O tempo é fluído por aqui - disse ao recem chegado.

Um conto de Neil Gaiman

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Só o sangue é eterno

Não durou nem duas semanas para que eu pedisse pela primeira vez em minha vida uma demissão. Sim, caro amigo, mas não pense você que foi um simples impulso de um cara folgado (embora estivesse exausto daquele ritmo de trabalho frenético), não. Aconteceu que dias antes de ser chamado pela Real, eu havia marcado uma entrevista pra uma certa multi-nacional só no final do mês, e sabe como é: salário maior, trabalho menor... escolhi o óbvio. Não demorou para que eu jogasse a toalha daquele serviço escravo dos infernos.

Falando em Inferno, vi o novo longa do seu Mojica, Encarnação do Demônio, numa sessão praticamente particular (duas pessoas na sala!). O filme se passa após o fim do cárcere de 40 anos do famoso psicopata Zé do Caixão. De volta as ruas, o cético e obstinado Undertaker brasileiro, segue firme em sua busca pela mulher que lhe dará o filho perfeito, a continuidade de seu sangue. E ele não está sozinho: com o auxilio de Bruno, seu fiel mordomo e uma trupe de punks assistentes, ele caça e testa cada uma de suas pretendentes, enquanto é assombrado por fantasmas do passado e perseguido de perto pela PM e um padre motherfucker.

Apesar do baixo orçamento, Encarnação do Demônio é diferente dos costumeiros filmes de terror que vemos por aí: os dialogos são animais, a violência é explicita, e a fotografia sombria é linda, ficando apenas devendo um pouco na atuação escrota de alguns coadjuvantes... Mas, não chega a ser um empecilho frente a toda genialidade do mais famoso cineasta brasileiro, José Mojica Marins, o nosso eterno Zé do Caixão!
_

domingo, 24 de agosto de 2008

Mais Batman!

Pois é... não deu pra aquele post de quarta denovo. Mas cá estou eu, surpreendentemente ainda com os dez dedos nas mãos para um breve e passional ensaio sobre um dos maiores clássicos da história dos comics: estou falando de Batman: O Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller que foi a mais nova aquisição do meu arcevo nerd, bwawawwawawawa!!!!!
_
Assim como provavelmente metade do mundo, sempre gostei do Homem-Morcego, mas confesso que foram os filmes do Nolan (e tambem pelos nerdcasts ) que me fizeram mergulhar de cabeça nos becos e vielas mais perigosas de Gothan City. Comecei tímido, primeiramente baixando o famigerado Piada Mortal, de Alan Moore, que conta um pouco das origens do mais insano vilão dos quadrinhos (quisá, agora do cinema): Coringa! Depois, nos sebos da vida, saí com a edição de Batman Extra #15, que veio com a mini-série Contágio Letal: aventura na qual, Wayne estrela ao lado de Lobo, um dos personagens mais motherfuckers do Universo DC. O traço e roteiro de Sam Kieth são de cair o queixo, só estranhei o fato do Lobo ter excesso de estrogênio no seu corpo (logo ele?). Uma semana mais tarde, estava lendo Asilo Arkhan: Os Subterrâneos da Loucura, de Grant Alcatena, aventura ambientada numa Realidade Alternativa, onde o agora Dr. Wayne é dono do hospício mais perigoso do mundo, numa Gothan no ínicio do século XIX (!).
_ _
Depois disso, parti pra ignorância e tratei logo de arrumar aclamada série de Miller, e já posso falar com alguma autoridade: o cara é f#da! Nessa fantástica série (lançada originalmente em 85), após uma aposentadoria de vinte anos, o velho Bruce se vê forçado a retomar suas atividades quando o calor em Gothan sobe tanto quanto a taxa de criminalidade, esta ultima provocada por uma gangue de jovens anarquistas denominada Mutantes (mas que de mutante mesmo, só tem o líder). Claro que ele já não é o meninão de antigamente, e por isso não pode se dar ao luxo de morrer por aí pra meia dúzia de moleques ramelentos, então ele retorna muito mais violento, ao melhor estilo Sin City de ser, mas ainda preservando seu voto de não matar (mas aleijar, cegar e mutilar tá valendo!). O Batmovel virou um p#ta tanque de guerra (como se pode ver nos filmes de Nolan), e Robin agora é uma garota! A volta de Batman na praça devolve a vida e o sorriso ao rosto de Coringa, seu arqui-rival que passou os vinte anos mais sem graça de sua vida, sem o Morcego pra chatear. Sua última batalha com o palhaço tem um desfecho macabro, digno de Frank Miller. Mas o melhor ainda estava por vir: Um confronto épico de Clark (agora, um cãozinho dos EUA) contra Wayne, com uma brilhante participação do Arqueiro Verde (com um só braço!). Final perfeitaço, de chorar de tão bom!
__
Mudando de assunto, amanhã tô com uma entrevista marcada pra trabalhar na Flextronics, uma empresa de eletrônicos, e que contratou metade do meu bairro aqui (sério!). Vou tentar... tô me machucando demais lá na Real, ralação demais, sem falar que na Flex o salário é quase o dobro do que na Padaria. Vamos ver o que se sucede... acompanhem os novos episódios. Agora aproveitar o restinho do dia pra ler os blogs do pessoal e quem sabe ir ao cinema a noite.

Abraços, me add!
:D
PSone: Me rendi ao BuddyPoked! Deem uma olhada no meu avatarzinho no quadro ao lado, até que ficou parecido...
PS2: Tá bom... prometo que é o último post sobre Batman (pelo menos nesse mês :P)

domingo, 17 de agosto de 2008

No pains no gains

Quebradaço, mas ainda vivo... trabalhar na produção da Real pode ser tudo, menos leve. Apanhei que nem cachorro véio nos primeiros dois dias, me cortei, me queimei, enfim... só ontem que comecei a pegar algumas manhas do(s) servicinho(s). Os caras que trabalham lá foram bem legais comigo, brincalhões e tal. O f#da é ter que ficar em pé por oito horas, lavando formas, varrendo chão, enquanto frito salgados e asso tortas, montando caixas e as levando pra cima e baixo sem parar. Trabalhoso (deve ser por isso que chamam de trabalho...). E tem esse horário filadamãe que não me deixa tempo pra fazer nada (entenda por nada: PC, RPG, HQ e TV [caramba, só siglas !?]). Será que todo trabalho é desse jeito?!


Reclamações a parte, alguns updates randômicos:
  • Bem... foi ontem aquele eclipse que a Yahoo estava "promovendo", né? Nem vi ... alguem sabe se aconteceu alguma coisa bizarra?
  • Fiquei sabendo tambem que o acionamento do LHC foi adiado pra 10 de setembro. Entendo, destruír (ou não) o mundo não é uma decisão fácil :D . Aproveitem a vida até lá...
  • Já estreiou The Clone Wars, mas tambem queria ver Encarnação do Demônio...
Acho que é isso por hoje... espero poder postar algo durante a semana, tenho que me ajustar a esse novo tempo. Que a Força esteja comigo!

sábado, 9 de agosto de 2008

Raindrops keep falling on my head

Ritmo...em ritmo de festa, começo o post anunciando que a partir de ontem sou um homem (finalmente) empregado !


Sim, é verdade! Depois de espalhar currículos nos mais recônditos cantos de Sorohell, enfim foi me dada uma chance e eu não vou desperdiça-la! Fui contratado pra trabalhar (vejam só) como auxiliar de produção no setor de confeitos e salgados da matriz da toda-poderosa Padaria Real , simplesmente o local onde é produzida a melhor coxinha com catupiry do mundooooooo*. Pra que a alienação de uma linha de montagem quando eu posso destrinchar os segredos da famigerada culinária da Real? :D
_
*Eleita pela Reader Digest como uma das "100 maiores delícias do Brasil", toma essa!

Tô até vendo os depoimentos emocionados dos padeiros que trabalharão comigo quando o Faustão anunciar o MEU.... Arquivo Confidêncial (cara de surpresa)!!!

Delírios a parte, começaram as Olimpíadas de Pequim (eu fico desgraçado da minha cabeça quando falam Běijīng na TV), mas eu não tô nem aí. Ponto.

Lançado pela HQM, Passeando com o Rei dos Sonhos: Conversas com Neil Gaiman e seus Colaboradores , uma compilação de entrevistas realizadas pelo jornalista Jopseph McCabe com o mega-boga criador do fantástico Sandman, um divisor de águas na história dos quadrinhos. Com mais de 300 páginas, com muitas fotos e desenhos inéditos, o livro é uma oportunidade única de observar como Gaiman pensa, cria, trabalha e interage com outros artistas, alem de conhecer seu ínicio como jornalista e seus primeiros passos nos quadrinhos. Tô doido pra ler (pra variar)!!!

___________________________ O cara

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Aviso aos Trouxas

Sete livros (com mais de 500 páginas cada) não foram o bastante para os fãs do sobrinho favorito dos Dursleys: Após acompanhar anos a fio as desventuras de HP, é impossivel não sentir um vazio f#da no final de Reliquias da Morte... não que eu não tenha gostado do desfecho da série (adorei, embora esperasse ainda MAIS mortes, bwawawwa :D), mas o fim de uma boa e looonga série de livros, TV, anime, whatever é sempre como se um grande e velho amigo fosse embora pra Far Far Away (modo Emo: On)...


Porem, Rowling apresentou uma surpresa aos trouxas de plantão: não, não estou falando do oitavo volume de HP, e sim do lançamento de The Tales of Beedle The Bard ! Lembram daquele livro de histórias herdado a Hermione por Dumbledore, aquele com o Conto dos Três Irmãos (vocês já leram o último livro, né?) ?

Pois bem... mais um livro ficticio na série se torna real para alegria de milhares de almas. Não bastasse a oportunidade de conhecer as maiores fábulas do mundo bruxo, a edição trará algumas outras surpresas. Com a palavra, JK:

“A nova edição incluirá os contos em si, traduzidos das runas originais por Hermione Granger e com ilustrações feitas por mim mas também terá notas do Professor Dumbledore que aparecem pela generosa permissão dos diretores do Arquivo de Hogwarts. O comentário de Dumbledore sobre os contos, os quais foram descobertos em seus documentos após sua morte, incluem algumas notas históricas, reflexões pessoais e os aspectos de um dos ramos mais misteriosos da magia: o folclore mágico. Espero que os leitores que poderão ter essas fábulas mágicas clássicas pela primeira vez, encontrem em seus comentários tanto um entretenimento como uma utilidade.(...) Dumbledore não apenas revela seu vasto conhecimento da tradição mágica, mas também mais sobre suas qualidades pessoais: seu senso de humor, sua coragem, o orgulho de suas habilidades e a sua sabedoria conquistada com muito esforço. Nomes conhecidos dos livros de Harry Potter espalham-se nas páginas, incluindo Aberforth Dumbledore, Lúcio Malfoy e os seus antepassados e o cavalheiro Nicholas de Mimsy-Porpington (ou “Nick Quase Sem Cabeça”), como também de outros professores de Hogwarts e antigos donos da Varinha das Varinhas. Dumbledore nos conta de incidentes únicos no mundo bruxo, como produções teatrais hilariamente problemáticas em Hogwarts ou os perigos de ter “um coração peludo.” Mas ele também revela aspectos do mundo bruxo que os seus leitores trouxas poderiam achar muito familiares, como censura, intolerância, e questões sobre os mistérios mais profundos da vida.”

O livro tem lançamento mundial e limitado no final do ano, dia 4 de dezembro, e já está em processo de pré-venda no Brasil pela Livraria Cultura por R$ 26,07 (em inglês).

domingo, 3 de agosto de 2008

Bat-anime

Para aqueles que assim como eu, saíram de The Dark Knight sedentos por mais, deixo a dica: foi lançado há pouco mais de duas semanas o DVD Batman: O Cavaleiro de Gotham, uma compilação de seis curtas animados pelos grandes estúdios japoneses.
_
As histórias são idependentes entre si, e se passam entre o Begins e o TDK, apresentando novos vilões, como o monstruoso Crocodilo e o apelo do Deadshot. Ao contrário do que foi feito em Animatrix, os animes não tem a intenção de costurar "pontas-soltas", e sim apresentar o Homem-Morcego na visão nipônica. E com visão, quero dizer só o estilo, já que os roteiros e tramas são obra americana, pra garantir que os episódios não fujam (muito) do universo concebido pelo super Nolan.


Todos os animes ficaram muito bons na minha opinião de otaku, mas meu preferido foi "Working Through Pain" do Studio 4C, que conta na forma de flashbacks sobre como Wayne aprendeu a lidar com sua dor (ou não :P) com uma ex-faquir.
Embora não sejam essenciais, são mais do que obrigatórios para novos e velhos fãs do Cavaleiro Negro!

quarta-feira, 30 de julho de 2008

E lá vamos nós...

Mais um mês indo pro ralo...
_
Se eu parar pra pensar, até que meu julho foi agitado. Claro que não deu pra fazer tudo que queria, mas fiz alguma coisa. Porem, a meta continua a mesma : conseguir um trampo (figas pra mim!).
Aliás, tenho que trancar oficialmente meu curso na UNIP antes de começar o semestre, e bola pra frente: FUVEST taí...
_
Problemas a parte, já estou na expectativa pra assistir Tropic Thunder, que promete ser a comédia do ano: com Ben Stiller, Jack Black e Downey Jr ( agora negão e com afro!).

Veeeeeeeja!

Alguns sortudos que foram na Comic Con desse ano já puderam assistir o longa, que só estréia aqui dia 29 de agosto (!). Ainda tem chão pela frente...
_
Falando em Jack Black, tenho que ver Tenacious D in: the Pick of Destiny, pelo que dizem por aí, o filme é hilário. Até vi uns pedaços no you tube, mas com essa discada de m#rda desanima...
Vou alugar no fim de semana, até lá vou ouvindo um pouco de Tenacious (nem sabia que a banda era real, ainda mais com o JB no vocal!).
_
That's all folks, bom agosto pra todo mundo!

sábado, 26 de julho de 2008

Em todos esses anos nessa industria vital, essa é a primeira vez que isso me acontece...

Até três dias atrás, eu não tinha noção do que era um meme...
Aparentente eles são muito usados na blogosfera e, aproveitando que um deles me foi gentilmente repassado, perguntei-me: por que não fazê-lo, não é mesmo?
(pigarros...)
Bem, esse é o clássico meme musical: Conheça um pouco mais deste verme que vos escreve através de títulos e trechos retirados da discografia da minha banda favorita: QUEEN!!!



1. Descreva-se: The Invisible Man
2. O que as pessoas acham de você: Good Company
3. Descreva sua última relação: Lost Opportunity
4. Descreva a atual relação: You Take My Breath Away
5. Onde queria estar agora: Now I’m Here
6. O que você pensa sobre o amor: Funny How Love is
7. Como é sua vida: Under Pressure
8. Se tivesse direito a apenas um desejo: I Want All
9. Uma frase sábia: Don’t Lose Your Head
10. Uma frase para os próximos: I'm Going Slightly Mad
_
Pode não parecer, mas demorei pacas pra escolher cada um...
_
Agradecimentos especiais a liv pelo meme e pelo selo !
Aliás, repasso esse joguinho a : Nana, Siena, Mah , Thaís, Nelinha e Maldito , alem do selo Doc. Gregory House de qualidade (promoção válida tambem para a madame liv).



“Leia menos… veja mais TV”

quinta-feira, 24 de julho de 2008

I want all

Tudo começou há mais de seis anos, quando pela primeira vez eu li um mangá. Se eu não me engano, era uma edição qualquer de Cavaleiros do Zodíaco. Como todo bom noob, estranhei um quadrinho em preto e branco, com páginas e dialogos espelhados, mas não demorei muito pra entrar de cabeça no hobby.
Em pouco tempo, minha coleção (ou melhor, coleções) não mais cabiam numa caixa de sapato... As pilhas logo migraram para a estante da sala, infestando o espaço reservado para as bebidas, quadros e troféus. Cada centavo era destinado a causa, tornando minha pequena biblioteca cada vez mais poderosa.

Anos se passaram e chegou um momento em que não podia bancar tantas coleções simultâneamente. O mercado do mangá se expandiu no país, trazendo uma onda de novos títulos a todo momento. Tive que fazer escolhas, cortar gastos... tempos difíceis.
E nesses tempos difíceis, adivinhe?
_

Comecei a colecionar mais e mais coisas (!).
Acabou que no fim dessa brincadeira toda, me descobri um colecionador filho da mãe, daqueles hardcore, cheio de TOCs, que não gosta de jogar NADA fora e quer comprar TUDO que vê...

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Why So Serious?

Em uma palavra: Fod@.

O novo filme do Homem-Morcego me deixou maluco, sem voz, extasiado. Doses cavalares de ação frenética e interpretações insanamente inspiradas fizeram de Dark Knight o melhor filme de supers feito até hoje (tá, agora respira ...).

Baseado nas melhores sagas dos quadrinhos (A Piada Mortal, Cavaleiro das Trevas e Longo Halloween), a psicótica sequência deixou sua antecessora (que era espetacular) no chinelo. Vai ser dificil superá-la numa provavel continuação (ainda mais sem o definitivo Coringa de Ledger ).



Você deve conhecer o Yin Yang: aquele símbolo que representa a dualidade universal, duas forças complementares que formam tudo que existe. Basicamente, o longa fala disso: mais do que um filme de super-heróis, Dark Knight é uma reflexão sobre antônimos. Quais os limiares que separam o herói de um vilão, ordem do caos? Existiria um Coringa se não houvesse um Batman?

Pra fechar, o filme consegue ser pesado e violento sem mostrar uma unica gota de sangue...Eu saí maluco. O filme é muito, muito f#da! Ponto.

"You either die a hero, or you live long enough to see yourself become the villain. ... "

sábado, 19 de julho de 2008

Thanks for the Memories

Começo a postagem de hoje com um domo arigato a todos os fiéis leitores e comentaristas do meu humilde bloguito, afinal de contas, é pra isso que eu criei essa bagaça. Nada como ter o Ego massageado com doces comments, nada como saber que não sou o único estranho do planeta e o mais importante: registrar minha fugaz existência quando a única coisa que sobrar nesse planeta for um robôzinho lixeiro pintado de amarelo...
_
Uma das minhas surpresas ao escrever o Se Você é o relativo grande número de leitoras fixas (não-nerds) que esse endereço tem atraído. O que é interessante, já que no mundo real não levo toda essa vantagem.
_
Outra coisa é a minha total falta de foco. Nota-se tal fato pela variedade de marcadores ao lado da página. O que começou como um diárinho público passou para portal de notícias geek com algumas resenhas e constantes explosões sentimentais (como esta).
_
Enfim, em menos de 3 meses como blogueiro,vi o quanto a vida muda. Pequenos eventos e futilidades que não percebemos (ou lembramos) se não passarmos para o papel (ou Internet, no caso). Alem disso, poder compartilhar esses momentos, essas pequenas vitórias e derrotas com pessoas que talvez você nunca chegasse a conhecer por outro meio, torna a experiência ainda melhor.

Aos leitores que ainda não são blogueiros, eu deixo a dica: seja, vale a pena.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Guitar Hero

Ainda que atrasado, por motivos de força maior, deixei para hoje o meu post em homenagem ao dia do Todo Poderoso Rock 'n' Roll!!!
Antes de mais nada, sou meio noob no assunto, mas como vivo cercado de amigos metaleiros, grunges, punks e etcétaras, acabo por ouvir muito rock por tabela (e esporadicamente, viciar numa banda ou outra).
_
O meu começo no mundo do rock deu-se com as históricas K7s e vinis (é assim que escreve?) do meu pai. Ele curtia (curte até hoje) muito da Disco Music: monstros sagrados como Bee Gees, Village People, ABBA e por aí vai, eram ouvidos sistematicamente durante todos os dias da minha infância. Tal estilo, influenciou muitos conjuntos da História do Rock, como The Clash, Rolling Stones e o f#dástiCo QUEEN, minha banda do coração!!!
_


O tempo passa, e certa vez, decidi que iria aprender a tocar guitarra! Ficar só ouvindo não era o bastante pra mim, eu queria gritar, arrebentar as pontas dos dedos em solos demôníacos, enfim, delírios de um adolescente tímido e apagado como eu. No natal daquele mesmo ano, ganhei meu primeiro violão (um Tonante) no já extinto amigo secreto da família. Era o primeiro passo... e eu tropiquei. Após alguns meses de muita paciência alheia e calos nas mãos, percebi que não havia nascido para o palco... ao menos, não com um violão nos braços.


Mas o sonho não acabou...

Em 2005, a Harmonix Music Systems lançou um dos jogos mais viciantes do Play2: claro que estou falando de Guitar Hero, o mega simulador de guitarra, que potencializou a venda do console em não sei quantos por cento... Um game de fácil jogabilidade: basta apertar os botões certos nas horas certas, como em Dance Dance Revolution (só que com uma guitarra-joystick ao invés do tapete). Quantas tardes e noites não foram embaladas pelos maiores clássicos do rock, tocadas por mim, o Guitar Hero?!

A franquia já se encontra em seu terceiro capitulo, Legends of Rock, alem de contar com os especiais Encore: Rock the 80s e Guitar Hero: Aerosmith (ainda não joguei esse). A previsão é que Guitar Hero IV: World Tour, estreie até o final do ano, e já correm boatos que a próxima banda homenageada com um jogo exclusivo seja a mundialmente idolatrada Metallica (!).

sábado, 12 de julho de 2008

.hack//SIGN

ARG é uma sigla para Aletrnative Reality Game. Os ARGs são caracterizados por envolver os jogadores nas histórias, encorajando-os a explorar a narrativa, resolver os desafios e a interagir com as personagens do jogo. Este tipo de jogo desenvolve-se a partir de sites, e-mails, telefonemas entre outros meios de comunicação comuns, todos friamente calculados. Uma espécie de RPG, só que numa escala muuuito maior.

Cada vez mais usados para divulgação de grandes seriados e filmes, ARGs explodem a cabeça de nerds desocupados pelo mundo inteiro, mas com certeza o maior e melhor feito até agora é o de
Dark Kni
ght, novissímo longa do homem-morcego, tendo inclusive uma fase realizada em Sampa...

Mas castelem o que aprontaram na terra do tio Sam:

Após o hack do site Citzens for Batman, nessa última quinta, coordenadas levaram fãs antenados no ARG, a dois pontos de encontro (em New York e Chicago) onde, na hora marcada, puderam presenciar ao vivo, nada menos do que o Bat-Sinal iluminando os prédios do local!!!



Você pode dizer: ah, legal essa do Bat-sinal, mas o melhor ainda estava por vir...
Em outro site do jogo, o Why So Serious, um relógio em contagem regressiva anunciava que algo "engraçado" iria acontecer lá... Dito e feito: assim que o relógio zerou, os bat-sinais que hipnotizavam a multidão, foram "coringados" por macabros "HAHAHAHA".



Dia 18 taí....

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Cinema em casa

O melhor numa quarta são as promoções das locadoras!
Ontem, levei o sanguinário ( e bota sangue nisso) Rambo IV e o épico Bússola de Ouro, ambas escolhas muito boas (modéstia a parte) pra esse comecinho de mês de férias!

Já sabia meio o que esperar do Sly nessa seqüência: balas ilimitadas, flechadas certeiras, explosões, e toda sorte de parafernália rambística já conhecida. O plot é simples: um grupo de missionários (suicídas) inventa de ir pro Inferno da Birmânia, e contrata o "barqueiro" John Rambo para ajudá-los na travessia. Ele avisa que ia dar merd@, ninguem ouve o cara e, obviamente, se arrependem depois. Sobra pro "barqueiro" ir resgatar os malditos (foi mais por causa da loirinha, mas whatever...).
_

Agora minha surpresa foi com Bússola de Ouro, baseado na trilogia “Fronteiras do Universo” (que eu ainda não li) de Philip Pullman, sobre a saga da pequena Lyra e seu dimon/daemon Pan através do mundo para entregar a tal bússola para seu pai. Aliás, esse conceito do dimon que eu curti bastante: tipo, em nosso mundo, supostamente carregamos nossas almas dentro de nós. No universo de Bússola de Ouro, elas ficam do nosso lado, na forma de pequenos animais (falantes). No filme, e provavelmente no livro, cada humano tem seu dimon, acompanhando-o durante toda a vida. Quando se é criança, esse dimon ainda não tem uma forma fixa, cristalizada como o dos adultos, pois a alma da criança ainda é maleavel, livre para se tornar o que quiser. Poético, não?

Agora quero ler os livros...

segunda-feira, 7 de julho de 2008

ctrl C, ctrl V

Há certas horas, em que não precisamos de um Amor...
Não precisamos da paixão desmedida...
Não queremos beijo na boca...
E nem corpos a se encontrar na maciez de uma cama...
Há certas horas, que só queremos a mão no ombro, o abraço apertado ou mesmo o estar ali, quietinho, ao lado...
Sem nada dizer...
Há certas horas, quando sentimos que estamos pra chorar, que desejamos uma presença amiga, a nos ouvir paciente, a brincar com a gente, a nos fazer sorrir...
Alguém que ria de nossas piadas sem graça...
Que ache nossas tristezas as maiores do mundo...
Que nos teça elogios sem fim...
E que apesar de todas essas mentiras úteis, nos seja de uma sinceridade inquestionável...
Que nos mande calar a boca ou nos evite um gesto impensado...
Alguém que nos possa dizer:
Acho que você está errado, mas estou do seu lado...
Ou alguém que apenas diga:
Sou seu amor! E estou Aqui!

William Shakespeare

sábado, 5 de julho de 2008

XVI EIRPG : Eu fui!!!

Sim, é verdade! No último minuto do segundo tempo, eu acabei por ir no famigerado Dia Internacional. E o melhor: não tive que cometer crime nenhum para tal empreitada!
Foi mais ou menos no finzinho de sexta, que meu amigo Leon me apresentou uma proposta tentadora de financiar minha excursão, e eu, alucinado, aceitei.
Hoje, passei meu sabado no lugar mais cheio de nerd por metro quadrado! Tinha de tudo lá: tiozinho de Superman, elfos e mais elfos pipocando por tudo que é lado, workshops muito bons, mil e uma exposições, alem de claro, um batalhão de mesas de RPG!
Ahhh...foi um sabado memoravel.
Com vocês, um mini-book que não me deixa mentir:

Um breve encontro com meu amado mestre....

Torneio de truco...err, digo: Magic
_

RPG de playba

A revolta dos Nerds

E claro, consoles de ultima geração!!!

Hoje eu posso dormir feliz. Ponto.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Poltergeist

Estava eu, ontem de madrugada, sozinho na sala... De repente, me veio uma inspiração doida e tratei logo de passa-la para o papel. Era um monólogo, curtinho, sobre a monótona pós-vida de um homem qualquer. Nele, esse homem continuava levando sua vidinha futil, mesmo depois da morte: ia para os mesmos lugares, continuava com seu mesmo trabalho, e falava com as mesmas pessoas, a diferença é que elas não o ouviam mais. Não que ele se importasse com esse detalhinho bobo. Na verdade, ele até estava curtindo sua condição etérea, ele já tinha sacado que tinha morrido há muito tempo. Só não sabia o que fazer da eternidade...

Voltando pra mim, estava eu lá, empolgadaço com meus garranchos, bancando o Kardec, e o que me acontece?
De repente, a luz da sala começa a fraquejar! Ia enfraquecendo, escurecendo o cenário... PQP!
Bobo como sou, já relacionei o causo ao que estava escrevendo e tratei de ir dormir correndo...
Ao acordar, tratei de contar pra todo mundo a minha versão da lâmpada queimada, esperando ser escrotizado, mas o que que minha mãe diz?

"Engraçado, tava comentando com seu pai que ouvi a voz da sua irmã ontem na porta (do quarto), me chamando... daí eu levantei e não tinha ninguem lá..."

Meu pai já tratou de emendar seus contatos sobrenaturais...

Era só o que me faltava: minha casa estar sobre um antigo cemitério indígena...

terça-feira, 1 de julho de 2008

Sweet July

Caramba, já estamos pra lá do meio do ano: Julho, véiiii!!!
Sim, o tão esperado mês de férias, dos grandes eventos, blockbusters e afins. O que me lembra, fria e cruelmente, QUE EU PRECISO ARRUMAR UM TRABALHO!!!
Do que adiantam tantas feiras, expos e filmes sem grana para aproveita-las?
_

Maldito Capitalismo: Quem eu tenho que matar pra ir para o Anime Friends?
Definitivamente, não dá para um nerd viver sem dinheiro por aí...
Enfim... esse post não é (ou pelo menos não era) sobre MEUS problemas financeiros, e sim sobre o que eu pretendo fazer esse mês no caso de haver recursos o suficiente para tal:

-Final de semana agora já é o Fantasticon 2008, em paralelo ao dia Internacional do RPG, que estão praticamente fora de cogitação a não ser que eu assalte um grande banco ou coisa parecida...

-Sexta estréia Hancock, com Will Smith, mais um na minha (quilométrica) lista de super filmes que eu não posso perder de jeito nenhum!
_
-Tenho até o dia 27 para ir até a Star Wars Expo Brazil, ver de perto as maquetes, uniformes entre outras centenas de originais da minha trilogia favorita. Espera mais um pouquinho, Lucas!!!

-Lá pro dia 15 a 20, whatever, tem o Anime Friends, o mega evento da cultura otaku brasileira (evento, do qual ainda NÃO fui nenhuma vez).
_

Tudo isso, sem falar das minhas coleções de mangá que já estão desandadas a mais de um mês...

domingo, 29 de junho de 2008

I always have a plan!

Amanhã, mais uma semana começa (não importa o que digam: semana pra mim começa na segunda, assim como o dia às 6 da manhã), e recomeça minha caça por um job. Vendas, indústria, whatever... preciso atualizar minhas coleções e rápido, antes que ela se torne uma bola de neve motherfucka e me afogue sem piedade. Aí está a maldita corrida dos ratos me abraçando em suas teias invisiveis...

Mas, assim como Ben Linus: Eu sempre tenho um plano! Já desencanei de cursinhos no SENAC... não senhor: vou começar meus estudos pra apavorar na FUVEST e fazer Audivisual (Cinema, Vídeo, Rádio e TV tudo no mesmo curso!!!) no ECA ano que vem!

Boa sorte pra mim!

sexta-feira, 27 de junho de 2008

A Arte de Perder

"PQP:Perdi meu óculos!"

Era só o que me faltava...
Certo, agora me diz a novidade: acho que ainda tá pra nascer um cara mais desatento do que eu! Sou mestre no quesito perder coisas (especialmente nas categorias blusas e guarda-chuvas), mas conseguir a proeza homérica de perder um acessório de uso vital, que passa praticamente o dia todo sobre o meu nariz é muita morguidez!
Agora, cá estou eu, expremendo meus dois cansados (e míopes) globos oculares contra esse monitor dos infernos, na esperança que algum lampejo mnemônico indique milagrosamente a
localização do meu precioso...

sábado, 21 de junho de 2008

Side Pocket

Eu nunca fui de frequentar barzinhos e afins, pelo menos foi assim até alguns dias atrás...

Alguns amigos me arrastaram até uma mesa de bilhar, decididos a me ensinar a beleza desse jogo. Cara, foi vício a primeira vista!
Ao contrário do que pensava, o Snooker (ou sinuca, whatever) é muito mais do que um passatempo para bêbados e criminosos: toda física envolvida nas partidas podem tornar meros nerds em futuros campeões da modalidade!
_


Claro que tambem funciona como uma ótima desculpa para praticarmos a nobre (e espinhosa) arte da socialização, alem de auxiliar na inflação egocêntrica do seus jogadores...
_
Enfim, tacadas a parte, as coisas estão dificeis por aqui. Com minha saída da faculdade, as cobranças aumentaram por parte de meus pais ( e com razão): preciso de um emprego, algo temporário, pelo menos até a poeira baixar... então em paralelo vou fazendo alguns cursos de design no SENAC... eu acho.

Bom, essa semana estreiou o remake de Agente 86, agora com o hilário Steve Carell (de O Virgem de 40 anos e The Office), alem do fofo Wall-E, novo longa animado da Pixar. Droga! Mais dois super filmes, e eu ainda nem vi o novo HULK...



E pra fechar, li ontem o fantástico Courtney Crumrin & as Criaturas da Noite . A história faz parte das crônicas do roteirista e ilustrador Ted Naifeh. Courtney Crumrin leva aos quadrinhos aquele misto de aventura e horror gótico, humor negro e fábulas infantis, transformadas posteriormente em contos com monstros adoráveis e happy end.

Dividido em 4 deliciosos episódios, somos convidados a conhecer a pequena Courtney, segundo ela mesma, uma menina "rude, mal-humorada e que basicamente não gosta das pessoas", que se muda, junto com seus pais à vitoriana mansão de seu tio-avô, o Prof° Aloysius, na próspera vizinhança de Hillsborough. Enquanto seus pais se esforçam para alcançar a tão sonhada inclusão na high society, Courtney mergulha num verdadeiro pesadelo onde é excluída e escrotizada por seus novos colegas de classe, por causa da reputação sinistra de seu tio-avô, e também por parte do seu temperamento um tanto quanto anti-social. Somado a isso, Courtney vai descobrindo segredos sombrios da antiga mansão e do seu tio Aloysius...

Mais do que contos de terror, Coutney Crumrin nos fala da dificuldade de ser, num mundo de aparências.


"Courtney era uma menina prática, e começou a lhe ocorrer que talvez ela não estivesse percebendo algo sobre o mundo... Algo importante. Afinal de contas, o que era mais provavel? O mundo estar cheio de gente superestranha, ou haver algo de errado com ela? "

Canelada: Wall-e ainda vai estreiar nesta sexta, dia 27 de junho...